Depoimentos expõem triste retrato da crise do café

15:30:23 -

Veja abaixo o relato de 60 produtores sobre a real situação da cafeicultura brasileira e a urgente necessidade de medidas por parte do governo federal

Desilusão e falta de perspectiva pairam sobre os produtores brasileiros de café, matriz de um setor que emprega direta e indiretamente mais de 8 milhões de pessoas e movimenta a economia de 1.800 cidades em 16 estados do pais. O triste retrato desta crise pode ser atestado através dos depoimentos de produtores, de todas as regiões cafeeiras, que estão aderindo ao Pacto do Café e deixando seu manifesto em favor do resgate da cafeicultura brasileira.

O Pacto do Café, movimento iniciado pelo setor produtor, está coletando a adesão de produtores e lideranlas para o envio de um abaixo assinado ao governo federal. A adesão ao movimento pode ser feita acessando o site www.pactodocafe.com.br, onde está disponibilizado a integra do documento com o conjunto de medidas de curto e médio prazos para o café, bem como os campos para o preenchimento do abaixo assinado, que endossa as medidas que foram apresentadas ao governo federal, por presidentes de cooperativas de café, em reunião com o secretário executivo do Ministério da Agricultura, Gerardo Fontelles, no dia 23 de outubro.

Pelo relato dos produtores, mesmo os que têm esperança de uma reversão da situação, tem o moral baixo, poucas ilusões e grande desconfiança em relação ao futuro do café, sem uma política consistente por parte do governo federal, como a que está sendo proposta no Pacto do Café, um documento que já tem a adesão formal de cooperativas como a Cooxupé, Cocatrel e Cooparaiso, além do respaldo de milhares de assinaturas de produtores, coletadas por intermédio do site.

A questão que todos tem em mente é como o café, um dos mais importantes produtos para o social e a economia do país e que tanto contribuiu para a construção do novo Brasil, foi parar nessa situação, de total descaso por parte do governo.

Na sexta-feira (01/11), falando ao vivo no Canal Rural, o apresentador João Batista Olivi disse ter a impressão de que existe um preconceito político de Brasília, do Governo Dilma, com o café e com Minas. Entrevistado do programa, o presidente da Cooparaiso, deputado Carlos Melles, respondeu “se não existe preconceito político, existe um preconceito contra o café. Desde o final do governo Fernando Henrique, e sobretudo nos governos dos presidentes Lula e Dilma, não há nada de política para café, um coisa muito estranha”.

“Nós todos não conseguimos entender esta posição do governo em relação ao café, é uma crise tem tamanho, prejudica seriamente os produtores e prejudica as instituições. O cooperativismo é muito forte no café, os recebíveis não tem mais jeito porque o produtor não tem como pagar, então o setor está propondo um conjunto de medidas no Pacto do Café”, pontuou Carlos Melles. Para o presidente da Cooparaiso, é importante que todos estejam alinhados com este conjunto de propostas para uma solução abrangente para o setor, e não somente a adoção de medidas parciais que na surtiram efeito como as tomadas pelo governo, com atraso, até agora.

As reivindicações dos produtores são conhecidas de longa data. Exemplo foram os movimentos SOS Café, em 2009 e 2010, que apresentaram de forma clara e transparente um elenco positivo e possível de medidas a serem adotadas. Portanto, antes dessa que está sendo considerada a maior crise do café desde a quebra da bolsa de Nova Iorque, em 1929, o setor cafeeiro vem advertindo publicamente o governo federal para a série de “problemas” que a falta de uma política vem provocando. 

A realidade exposta é que os produtores vivem uma situação dramática. Além de um estoque de dívidas acumuladas em função de perdas com safras passadas, atualmente os cafeicultores estão ainda mais sacrificados pela ausência de uma política pública do governo federal que pudesse reverter os preços de venda da saca de café, que está sendo cotada em torno de R$ 260,00, enquanto o custo de produção médio está em torno de R$ 400,00.

Repercussões de produtores e lideranças que aderiram ao Pacto do Café:

(Depoimentos até a manhã de sexta-feira (01/11). Os depoimentos, no site, estão com CPF e e-mail).

Nome: Luiz Anthonio

Assunto: sou produtor a 30 anos, ja tive lavouras de café em terras onduladas,mudei para regiao de cerrado,terras planas e ainda nao obtive sucesso.Ë sempre crise ,a mercê do mercado internacional. Ainda preciso ver a uniao de produtores,firme,verdadeira,lutando pela classe, pelo setor,com planejamento, estratégia e debater todos o planos pra o setor. E nao pra ficar sabendo da situaçao de um outro produtor e abocanhar a propriedade de quem esta em pior situaçao. Uniao,força, com politica para o setor cafeeiro,preços que remunerem o custo de produçao.Cultura perene, nobre e nao ouvimos ou vemos nenhum parecer serio,competente,convincente,da parte dos senhores politicos e associaçoes do setor , que brigue e faça esta uniao do setor acontecer.Se isto nao acontecer continuaremos desarrumados. obrigado, Abs.

 

Nome: Maria Amalia

Assunto: Está muito difícil cumprir com as obrigações. Inúmeros financiamentos estao vencendo e não temos dinheiro para honrar com nossas dívidas. Para variar só um pouco, as medidas nunca chegam a tempo certo.

 

Nome: Carmo Rosa Loures

Assunto: O governo está preocupado com o produtor de café? O produtor de café está respirando através de aparelhos.

 

Nome: José Luciano Domiciano da Silva

Assunto: Sou pequeno produtor rural em Piumhi-MG. Se o governo não prorrogar o pagamento das dívidas terei de vender a propriedade para resolver a situação. Não tem mais onde correr!

 

Nome: Evandro Cesar Pimenta

Assunto: acho que esta faltando lideranças politicas para resolver a questão da cafeicultura ,as cooperativas juntas com os sindicatos e prefeitos de cada cidade deveriam mobilizar para todos os cafeicultores pararem por 15 dias com os empregos .assim o governo dilma iria dar valor a cafeicultura pois ela só olha para a industria nâo demitir , nos cafeicultores estamos pagando carro para trabalho e estamos perdendo nosso patrimonio ,se já não perdemos . pois não aquentamos mais esta cituação .

 

Nome: Celio Porto Fernandes Filho

Assunto: Boa tarde. Há tempos procurava um canal para me expressar. Vivemos um desequilibrio entre produção e consumo no mundo. Politicas que visem interferir no escoamento natural da safra não concordo que seja a melhor saida. Produzimos erroneamente incentivados por creditos e preços esporadicamente altos em detrimento da renda que essa produção nos proporciona. A transformação do produto agricola em alimentar e o produtor participando proporcionalmente do resultado final da cadeia produtiva é o que devemos perseguir. A meu ver produtividade, custos reduzidos etc são problemas internos da propriedade e embora importantes, o resultado economico é insignificante dentro do volume financeiro gerado na atividade.Nossos caros e poucos recursos governamentais deveriam ser distribuidos partindo dessa logica. Obrigado. Celio

 

Nome: Celito Barbosa

Assunto: Sou pequeno produtor de café no sul do estado do ES. Minha mãe me deu a luz em 1960 segurando em um pé de café,entre as montanhas do município de Irupí,e disse É HOMEM,mas hoje com o descaso do governo com a atividade da cafeicultura, que mais gera trabalho e renda para minha região, me sinto excluído da sociedade que de certa forma ajudei construir com a produção de alimentos e geração de renda.Não me sinto HOMEM SER HUMANO,mas um ser inútil que não é reconhecido como parte dessa sociedade.É lamentável o homem perder até a sua dignidade. Celito Barbosa

 

Nome: José Irivelto Gongora

Assunto: A importância da cafeicultura não pode ser ignorada ou negligenciada,seja para o produtor,para a cadeia de negócios, seja para a economia do brasil. Sejamos sensatos e tratemos com respeito os interesses do nosso povo e do nosso País, para nos inserirmos verdadeiramente nas sociedades mais progressistas, maduras e socialmente justas e respeitadas. É hora de cuidar melhor do que é nosso para não sermos vistos e tratados como colônia. Como diz a música "quero ver quem paga para a gente ficar assim"...

 

Nome: Ademar Laitano

Assunto: Mercado segue com preços depreciados , produtores lamuriando, comerciantes insatisfeitos e exportadores desanimados. Estamos vivenciando uma das piores crises da cafeicultura nas ultimas décadas, os preços praticados hoje estão verdadeiramente abaixo do custo de produção. A equivalência " preço café/preço adubo , preço café /preço salário mínimo , preço café/preço defensivos , preço café/preço combustível ", está pior do que na safra 2008/2009, quando a cafeicultura nacional atravessou a ultima grande crise de preços. Verificamos este ano na região da Zona da Mata Mineira , a maior renovação já vista em nosso parque cafeeiro, mais de 30% ( podendo chegar a 40%) de toda a área ocupada por lavouras estão sendo renovadas ( podadas e recepadas) no intuito inicial de reduzir custos com tratos culturais para atravessar esse momento de declínio de preços., Isso trará uma situação pragmática, pois se em um primeiro momento teremos uma redução drástica na produção dessas lavouras, logo em seguida teremos um incremento na produção da região devido a essa renovação, mas isso dependerá dos produtores conseguirem levar a termo os tratos culturais necessários. Nesse momento, o que preocupa mais o produtor de café e até mesmo o restante do segmento, é que o declínio de preços em virtude de excesso de oferta, não é mais originado de "dentro pra fora" ou seja não é mais exclusividade da pressão exercida pelas safras Brasileiras ; o excesso de oferta hoje vem também de outras origens, que apresentam cadeias produtivas com características diversas das por nós conhecidas. Nos últimos 30 anos na história da cafeicultura moderna, tínhamos uma máxima que norteava os sentimentos do mercado de café , que dizia: "quando a coisa está muito ruim, é porque está perto de melhorar"..., mas hoje perguntamos, será ?...

 

Nome: Marco Antonio Jacob

Assunto: Porque não se usa os instrumentos de direito que temos . Observem que vocês colocaram em primeiro lugar a Lei 4504 de 1964 - Estatuto da Terra. Nesta Lei , em seu artigo 73 , XII , no que tange a Proteção à Economia Rural , é claro a "garantia de preços mínimos à produção agrícola." Então , provoquem o Poder Judiciário , através de Mandado de Segurança (LEI Nº 12.016, DE 7 DE AGOSTO DE 2009), para que as autoridades competentes obedeçam a LEI. Chega de Politicas Públicas Elitistas , a Politica Pública Cafeeira têm que ser para todos.

Todos os comentários devem ser públicos , isto é , publicados neste site.

 

Nome: Gilcelio Amaro de Souza

Assunto: moro em martins soares sou produtor,nossa região é toda produtora de café.estamos chegando no ultimo limite o comercio ja não vende mais,os produtores estão todos endividados,muitos ja estão se mudando para as cidades em busca de melhoria.

 

Nome: Tarcísio

Assunto: Pais sem futuro e governantes sem liderança! Invasão de terras, protestos, roubalheira de colarinho branco,e cafeicultura sem, pelo menos, preço minímo . Vamos cadear a porteira e pedir bolsa familia

 

Nome: Wallace de Oliveira Barbosa

Assunto: Produtor de cafe cada vez mais escravo do mercado,lutando todos os dias e mesmo assim pagando caro para produzir...

 

Nome: Felipe

Assunto: vamos reagir cafeicultura

 

Nome: Flaviano Amorelli Pereira

Assunto: as lideranças estao dormindo qual deputado senador governador para falar em rede nacional para nos produtores nao pagar as dividas que ja começaram a vencer em meados de outubro que ai o governo vai nos procurar e nao nos procurarmos para ficar pedindo bolsa cafe. as lideranças falam , faz reunioes e nada e tem gente que ainda bate palma depois do pronunciamento, com governo do pt temos que agir duramente doa a quem doer; qual sera a liderança a fazer este pronunciamento em rede nacional o ano que vem tem eleiçao candidatos.....

 

Nome: Marlene Aparecida dos Reis Alves

Assunto: Não sabemos como vamos sobreviver diante desta crise na cafeicultura pois em nossas terras de montanha o que plantar? Não desejo ao pior inimigo o que estamos passando.

 

Nome: Flavio Garbin Filho

Assunto: não seria bom colocar os atalhos para fazer compartilhamento no face ou em outras redes sociais .. Flavio

 

Nome: Rommel Kruger Rodor

Assunto: A situação do café está ficando dizisperadora. É muita pancada. Parece que o buraco não tem fundo! Esta insegurança e a instabilidade nos correi.

 

Nome: Jose Roberto Scalabrini

Assunto: união dos produtores rurais e do setor de trasportes é fundamental para que o governo saiba quem carrega este pais nas costas

 

Nome: Remo Gouveia Franco

Assunto: Café nesse preço será o fim da cafeicultura no sul de minas e uma quebra geral dos produtores atingindo com isso todo o comercio e todo desenvolvimento dos municípios.

 

Nome: Marcos Antonio Bergamo

Assunto: PRODUTORES CHEGOU A HORA DE MOSTRARMOS NOSSO VALOR. OU VALIDAMOS ESSE MOVIMENTO, OU MORREMOS DE INANIÇÃO E FALIDOS.

 

Nome: Amarildo Freitas Peloso

Assunto: Necessitamos urgentemente dessa prorrogação para evitar uma quebradeira geral dos produtores e poder gerar os empregos de todos os envolvimentos neste setor.

 

Nome: Irson Ribeiro de Oliveira

Assunto: Agora já não é mais uma necessidade, é uma questão de sobrevivência.

 

Nome: Rodger Ramos

Assunto: programa de retenção pelo governo, porem, investimento no markting do café no fora do país

 

Nome: Eugenio de Andrade Souza

Assunto: ESTE PREÇO DE CAFE TA UMA VERGONHA!!!

 

Nome: Elicio Aparecido de Oliveira

Assunto: É uma vergonha nacional os caminhos que a cafeicultura esta tomando. E mais vergonhoso ainda é ver nenhuma atitude sendo tomada. Será até quando vamos ficar nas mãos de grandes fundos investidores que ganhão com o nosso suor e sem fazer nenhum esforço e nem mover uma palha, para que as coisas aconteça. Nós que estamos no meio de terras e de lavouras, queimando a nossa pele para que seja produzido todos os tipos de alimentos que compõe e mesa de cada, em todos os dias. ACORDA PESSOAL !!! CHEGA DE FAZER POLITICAGEM VAMOS TOMAR ATITUDE DECISIVA! OU VAI ESPERAR TODOS OS PRODUTORES FICAR QUEBRADOS E SEM CONDIÇÕES PARA CONTINUAR SUAS ATIVIDADES?

 

Nome: Leandro Santos Sousa

Assunto: A Queima da Safra será mais uma vez a tentativa desesperada de solução? EU queimo a minha!!!!!

 

Nome: João Paulo

Assunto: Sou cafeicultor em andradas, estamos precisando de medidas de apoio, as dividas estao vencendo, a cafeicultura aqui esta no desespero precisando de socorro, a cafeicultura esta morrendo e as liderancas seguem de bracos cruzados, na minha opiniao as dividas de bancos que estao vencendo nao devem ser paga, ate o governo tomar alguma medida, porque nao podemos entregar nosso cafe nesse preco ridiculo e abaixo do preco minimo. Vamos acordar senao a cafeicultura esta no fim.

 

Nome: Sergio Henrique Rocha Santos

Assunto: QUERO CONTINUAR TRABALHANDO E OBTENDO UM RETORNO DIGNO PELO MEU ESFORÇO. SALVEM A CAFEICULTURA.

 

Nome: Armando Santos

Assunto: É impossível viver para ver meus familiares e funcionários sem ter como trabalhar na cultura que escolheram a 5 gerações. Governantes, vejam o impacto socio econômico que esta sendo gerado.

 

Nome: Suzana Santos Passos

Assunto: São inúmeros os seguimentos que vão desabar com a derrocada do café. Tomem uma atitude urgente urgentíssima para salvar a todos os pobres produtores de café. Minha região só produz isso: CAFÉ. jUNTO COM ESTE PRODUTO VEM TODO O QUE O COMERCIO, INDUSTRIA DE MÁQUINAS, ROUPAS, ALIMENTOS E TUDO MAIS. SOCORRO!!!!!

 

Nome: Wilson Passos

Assunto: SENHORES GOVERNANTES. TENHAM FAÇAM TUDO PELO POVO QUE CULTIVA ESTE PRODUTO CONSUMIDO NO MUNDO INTEIRO. SÃO INÚMERAS AS PESSOAS QUE DEPENDEM DESTA CULTURA "O CAFÉ"

 

Nome: Walter Padro

Assunto: O que nos falta na verdade e Uniao entre os produtores, e estou aqui fazendo uma proposta , radical ou nao, que façamos a queima de todo cafe com bebida abaixo de duro tipo 6, para que o mercado brasileiro so tenha acesso a cafe bebida duro, tipo 6 acima. Nao acredito que renegociaçao de divida ira tirar o produtor da atual crise, pois nao conseguimoa mais gerar renda.

 

Nome: Pedro Camargo

Assunto: crise do café: tem que ser feito algo urgente enquanto ainda temos um restinho de folego, as medidas só chega depois que tudo esta complemetido, chega de credor na porta de casa cobrando dividas. ok obrigado.

 

Nome: Maury Faleiros

Assunto: Temos que unir para defender o maior patrimônio agrícola brasileiro que é o café.

 

Nome: Janir Jose Cremasco

Assunto: Minha mensagem é uma sugestão/pergunta. - Porque exportamos quase todo nosso café "cru"? Creio que seria uma ótima forma de agregar valor ao nosso produto. Como comparação: exportar laranja e não o suco; exportar o frango vivo e não abatido; exportar a cana e não o açucar..... Abraços

 

Nome: Antonio Aparecido Morelatto

Assunto: Na verdade e o Brasil que deveria fazer um pacto contra a inepcia desse governo mediocre que com seu projeto de poder esquece dos que dao emprego pois e mais facil comprar um votinho com uma bolsa miseria do que apoiar quem produz nesse pais. E com tristeza temos lideranca fazendo o jogo que tem que ser jogado o do interesse proprio, pois quem conhece a vida do campo e o sofrimento de quem vive nele ou por ele tendo que olhar para cima multiplas vezes no dia nao se prestaria a fazer parte dessa jogatina

 

Nome: Antonio Carlos Anderson

Assunto: prescisamos de politicos que vista a camisa do produtor rural ele que gera emprego ele que da a comida que voce come acorda gente?....

 

Nome: Antonio Aparecido Machado

Assunto: a ideia seria se o governo pegasse em cafe dos pequenos produtores para quitar o pronaf com o preço minimo de garantia do cafe...

 

Nome: José Tadeu Junqueira Cruz

Assunto: VAMO NOS UNIR SO ASSIM CONSEGUIREMOS VENCER

 

Nome: Amauri Vieira Santos

Assunto: A situação da cafeicultura é de desespero ,vai ser uma falência total do setor se nada for feito, sugiro que todas as cooperativas de café do Brasil se unam para suspender de imediato todas as exportações até que o preço do produto retorne a patamares que remunere dignamente o produtor pois o volume de café comercializado por elas é muito grande e vai impactar o mercado com certeza, o mundo precisa do nosso café o resto é boato de comprador.Quanto as dividas dos cafeicultores ela só deve ser paga quando o café voltar a dar algum lucro com prejuiso é impossível.

 

Nome: Hélio de Almeida Noronha

Assunto: CAROS PRODUTORES, Por nossa classe ser dispersa e desunida, ficamos sempre a mercê de interesses maiores e grandes grupos financeiros que manipulam, conforme seus interesses, os preços de nossos produtos. Nos somos os únicos "empresários" que não estabelecem os preços de seus produtos conforme a regra do custo e da receita com a finalidade do lucro, pois compramos insumos e recursos aos preços que nos são impostos e não vendemos nossos produtos pelo preço que precisamos, daí a quebradeira generalizada na maioria das atividades agrícolas em nosso País. Nossas entidades representativas de classe, em sua maioria não representam nossos interesses. Como exemplo, cito a CNA, entidade que somos obrigados por lei a pagar e nada articula em favor da classe produtora. É necessário que a sociedade brasileira conheça as reais dificuldades vividas pelos produtores rurais, e para isso só existe uma ferramenta - A PROPAGANDA - mostrando a realidade do produtor, que é responsável pela geração de milhões de empregos e vem sendo o principal responsável pela estabilidade econômica do nosso país, as custas da degradação de seu patrimônio. O Tomate ou qualquer outro produto que já provocou a quebra de seus produtores por vários anos de preços abaixo do custo de produção, quando faltam no mercado, são taxados pela mídia como vilões, quando a realidade é bem outra. A CNA deveria usar os imensos recursos pagos pelos próprios produtores para divulgar em horário nobre da mídia, a real situação vivida pela agricultura em nosso país. Os políticos eleitos através da força do voto da nossa classe, deveriam legislar mais em favor da sobrevivência da nossa agricultura e o Governo que tem colhido os frutos da estabilidade econômica, deveria cuidar melhor da Galinha dos Ovos de Ouro, protegendo esta classe frágil com medidas como: - Limitar o percentual de lucro dos intermediários de produtos agrícolas, até o consumidor final, melhorando a renda na agricultura e reduzindo a infração. - Criar mecanismos de política agrícola eficazes, para evitar superprodução e escassez de determinados produtos. - Criar mecanismos de subsídio quando necessário, conforme praticado por todos os países desenvolvidos. O agricultor não precisa somente de juros baixos nos financiamentos, mas da garantia de que seus produtos sejam vendidos por um preço que cubra os custos de produção e gere lucro, Pois o empréstimo terá uma data para ser quitado. VAMOS NOS UNIR APRENDENDO REIVINDICAR NOSSOS DIREITOS E RECONHECENDO NOSSA FORÇA.

 

Nome: Roberto Pin Debona

Assunto: A iniciativa e muito importante para o setor diante da atual crise que vive o cafe.Todos os produtores devem aderir sem se quer contestar pois o desespero já poe em risco o futuro da atividade no país.O que mais revolta e causa ate certo espanto e como todo o setor cafeeiro se mostra fraco e vulnerável diante da incompetência do governo que com certeza daria mais importância ou se sentiria mais acuado diante de órgãos competentes que tivessem propostas coerentes e que acoplasse renda ao cafe. Anualmente,como assim se faz, a produção não vive a merce de um mercado especulativo, onde muitas pessoas se quer sabem como se faz para produzir uma saca de café. Sendo assim, não saber como fazer para fixar renda em um produto que é produzido e mapeado ano a ano, só se pode dar um nome: incompetência. O governo não fez, não fara e os idiotas que produzem com a maior e melhor competência do mundo vão ver o preço se arrastar com inúmeras propostas, ate que o mercado se enxugue e as industrias cafeeiras explodam seus bolsos acumulando enormes lucros.Fica a indignação de todo setor que tanto fez e faz por esse pais, afinal, o café movimenta a economia desde a colonização.

 

Nome: Marcelo de Moura Almeida

Assunto: E O MINIMO QUE O GOVERNO DEVE FAZER PARA O MAIOR GERADOR DE EMPREGO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO.......

 

Nome: Renato Sinhoreto Rurato

Assunto: Olá, estou aqui para dizer da minha insatisfação com o mercado do café, nunca o café se encontrou em tal situação, o descaso do governo, das nossas lideranças é total, esse preço que gira na praça é lastimável, já que os custos para manutenção de uma lavoura de café é muito alto, a mão de obra é quase escassa, acho que eu como a maioria dos cafeicultores estão a beira do abismo, no fio da navalha, resistindo praticamente sem forças, sem incentivo, e nada é feito para mudar tal situação, o que o governo esta esperando para intervir, esperar a maioria do cafeicultores mudar seu campo de atuação, porque é isso que vai acabar acontecendo.

 

Nome: Elisandra Rosa Rodrigues de Souza

Assunto: SOU PRODUTORA E TAMBÉM SOU PRESIDENTE DO SINDICATO DOS PRODUTORES DE NOVA RESENDE .PEÇO AO GOVERNO FEDERAL QUE OLHEM PARA OS PRODUTORES ,PORQUE ESTAMOS PASSANDO POR UM MOMENTO MUITO DIFÍCIL , JÁ TENTAMOS DE VÁRIAS MANEIRA SAIR DESSA CRISE MAS NÃO ESTAMOS CONSEGUINDO , AGORA PRECISAMOS DE VOCÊS, POIS CONFIAMOS EM VOCÊS PARA AJUDAR AS PESSOAS QUE PRECISA. AGORA CHEGOU A VEZ DE NOS AJUDAR . POIS E NOSSO SUOR QUE ESTÁ AMEAÇADO, SÃO LÁGRIMAS DE DOR E SÃO SONHOS DE UMA VIDA TODA CONSTRUÍDA INDO PARA ÁGUA ABAIXO, AMIZADES DESFAZENDO DEVIDO AS PESSOAS QUE FORAM AVALISTA,SÃO PELES CORROÍDAS PELOS ADUBOS DEVIDO O CAFÉ SER DE MONTANHA, TUDO POR CONTA DESSA CRISE.A SOLUÇÃO ESTÁ NA MÃO DE VOCÊS PARA RESOLVER E DEVOLVER TUDO ISSO DE VOLTA PARA NÓS , POIS SOMOS SERES HUMANOS TAMBÉM, E PRECISAMOS DE APOIO E A COMPREENSÃO DE VOCÊS, E ESTAMOS CONFIANTES QUE VOCÊS OUVIRÁ NOSSO CLAMOR.

 

Nome: Jose Roberto Scalabrini

Assunto: movimento produtor e trasporte vai fazer o movimento black block parecer brincadeira o governo so entende assim é alingua deles

 

Nome: Mario Junqueira

Assunto: Prezados parceiros da produção de café no brasil? Venho externar minha opinião que necessitamos de preços justos para produção de nosso café e, não uma politica de empréstimos de dinheiro que contribui para aumentar o nosso endividamento. Que nossas cooperativas façam uma politica de ajuda aos cooperados com o fornecimento de cursos para produção e armazenagem de nossa produção.

 

Nome: Lucio de oliveira

Assunto: sou pequeno produtor de cafe em Poço Fundo-MG, e as dificuldades são enormes, tenho emprestimos junto a cooperativa e bancos, esperei pelas medidas do governo, achando que ia me ajudar, mas nao ajudou em nada ate agora, e acho que naum vai ajudar, estou pensando seriamente em deixar esse ramo. att lucio

 

Nome: Ismael Coimbra

Assunto: Os produtores rurais que hoje abastecem tanto o mercado nacional quanto as exportações,terão grande dificuldade em manter as suas empresas rurais.Em parte pela dificuldade em produzir em um país que não os respeita e principalmente pela sucessão familiar,pois que pai que ficaria feliz em ver seu filho sofrendo para produzir nestas condições.Bem,ai resta aos índios e a agricultura familiar sustentar toda esta máquina....

 

Nome: Ilson José Aparecido

Assunto: Um país que não defende sua gente, não merece o respeito deste povo! Um governo que não honra seu povo,não merece o voto, e deve ser deposto! Um cidadão que não ama seu país, merece ser excluído da sociedade! Uma sociedade elitista(burguesa),despatriada(vive outros países), que pouco importa com o sangramento das famílias rurais, com a degradação dos valores humanos na família campesina ou agricultores familiares e o enfavelamento rural, com a fuga degradante para hurbanicidade, a não opção de decisão do homem e mulher rural de ficar lavrando a terra como seus antepassados, merece nosso ato de revolta- repúdio- indignação, pois não vejo,nos atos dentro da cafeicutura e do agricultura em geral, de preocupação dos governantes com seu povo, apenas de preocupação com os financiadores de campanha, mega empresas/bancos e com seus conchavos políticos. Basta!Basta! É hora de políticas de defesa do povo brasileiro, dos negócios brasileiros, Ugo Chaves era um tanto louco,próximo a linha ditatorial, porém era nacionalista ou melhor dizendo amava defendia sua pátria.

 

Paulo H. Delfante

Coffee Break

 

 

 


www.coffeebreak.com.br
criado em 01/11/2013